Curiosidades

[Curiosidades][grids]

Internet

[Internet][grids]

Politica

[Politica][grids]

Tecnologia

[Tecnologia][grids]

Saúde

[Saúde][grids]

Astronomia

[Astronomia][grids]

Beleza

[Beleza][grids]

Ciência

[Ciência][grids]

Quem criou o Whatsapp? A filosofia da empresa irá te inspirar


O WhatsApp ficou famoso por não conter anúncios e é o principal aplicativo de comunicação de dispositivos mobile atualmente. E é com certeza um dos aplicativos mais popular do mundo. Foi fundado em 2009 por Brian Acton e Jan Koum foi vendido em 2014 para o Facebook por US$ 16 bilhões. O aplicativo possui mais de 1 bilhão de usuários e o Facebook registra mais de 55 milhões de chamadas vídeo diariamente, nada mais que 340 milhões de minutos de conversa.


Com bilhões de mensagens sendo trocadas, ninguém viu um sequer anúncio publicitário circulando por aí. Agora que existe o WhatsApp Status onde permite que o usuário insira uma imagem e que desaparece rapidamente como no Snapchat, permite adicionar propagandas direcionadas o que já é uma realidade consolidada em serviços da internet. Será que o Facebook irá fazer isso?



Na sua mesa de trabalho, Jan Koum mantinha à vista um recado do seu sócio e parceiro, Brian Acton, descrevendo o seguinte: “Sem anúncios! Sem Brincadeira! Sem pegadinhas!”. E essa frase foi um dos princípios da dupla de engenheiros para criar de um aplicativo com foco total na experiência de comunicação do usuário.


Eles passaram 20 anos trabalhando no Yahoo! antes de dar início à sua própria empresa. Por destino traçado, eles foram bancados com dinheiro de investidores, e puderam trabalhar e fazer a ferramenta expandir e se tornar muito bem conhecida, com versão para todos os principais sistemas mobile da atualidade – e sem recorrer à publicidade. A ideia principal era oferecer um ótimo serviço, capaz de superar os limites técnicos e econômicas dos serviços de SMS oferecidos pelas operadoras de telefonia. Assim, você tinha uma opção muito mais em conta e funcional, algo que deu certo e causou inúmeros desdobramentos no setor de telecomunicações.
É óbvio que o discurso dos criadores do WhatsApp faz muito sentido, afinal ninguém gosta de ser atrapalhado por caixas de publicidade. Mas de algum local o App precisava ganhar dinheiro para se manter, pois os seus investidores esperavam retorno. A partir de 2013, o WhatsApp passou a estipular uma assinatura anual para que um usuário tivesse acesso às funcionalidades do aplicativo, lembra?. O app pode ser baixado gratuitamente e não é preciso pagar nada no primeiro ano. A partir do segundo ano, porém, os usuários devem pagar uma anuidade de US$ 0,99 para continuar a ter acesso ao serviço. Você pode pagar um valor maior para assinar o serviço por mais tempo. No Brasil, os preços praticados são R$ 2,55 (um ano), R$ 6,87 (três anos) e R$ 9,54 (cinco anos).

“O objetivo do WhatsApp é o de ser exclusivamente um meio de comunicação com seus amigos e família e por isso não o incomodamos com propaganda”, informa a companhia em seu FAQ. “Porém, o WhatsApp possui uma pequena taxa de assinatura. Lembre-se de que o WhatsApp nunca o cobrará automaticamente por esta anuidade”. Resumindo, foi uma das formas que os sócios encontraram de não adicionar publicidade.
“Sabíamos que poderíamos cobrar diretamente das pessoas se conseguíssemos fazer tudo isso. Sabíamos que poderíamos fazer o que a maioria das pessoas quer, todo os dias: evitar anúncios”, complementou.

Fonte: Canal Tech


Nenhum comentário: