Curiosidades

[Curiosidades][grids]

Internet

[Internet][grids]

Politica

[Politica][grids]

Tecnologia

[Tecnologia][grids]

Saúde

[Saúde][grids]

Astronomia

[Astronomia][grids]

Beleza

[Beleza][grids]

Ciência

[Ciência][grids]

Cada pontinho, uma galáxia: mapa 3D representa a estrutura de 3% do Universo

Centenas de pesquisadores do Estudo Espectroscópico de Oscilação Bariônica (BOSS na sigla em inglês) e do centro de pesquisa Sloan Digital demoraram quase 10 anos para fazer um mapa em 3D da estrutura do universo. São cerca de 50 mil pontos: cada um deles representa uma galáxia.

Por mais que pareça ser um mapa bem completo, os cientistas do BOSS disseram que a imagem representa ‘apenas’ 3% de todo o universo – que possui pelo menos 1,2 milhão de galáxias.

Especialistas dizem que o mais impressionante desse mapa é que ele mostra como o universo tem se expandido com o passar dos anos, comprovando a Teoria de Relatividade do físico Albert Einstein, que diz que tempo e espaço são relativos dependendo do ponto de vista de quem observa.

“É o teste mais rigoroso que já lançamos na relatividade geral”, disse a co-presidente do BOSS, Rita Tojeiro.

O que representam as cores do mapa

Os pontos amarelos do mapa representam as galáxias mais próximas da Via Láctea, há até 6,4 bilhões de anos-luz de distância.

As mais escuras e roxas, no caso, são as que ficam mais longe da nossa galáxia, a partir de 6,7 bilhões de anos-luz.

As manchas mais acinzentadas representam um possível corpo celeste (pode ser uma estrela ou um planeta, por exemplo). No entanto, essas manchas refletem dados imprecisos, porque uma estrela brilhante demais bloqueou a vista, ou por conta de algum erro durante a captação de imagem.

Mapa 3D do universo: como foi criado
Para conseguir fazer esse mapa, centenas de cientistas posicionaram telescópios e aparatos espaciais em uma região onde foi possível captar 650 bilhões de anos-luz cúbicos em volume, num período de quase 10 anos.

Encontrar sua distância da Terra exigiu uma análise do espectro de luz de cada galáxia. Para isso, os cientistas tinham que evitar a interferência do excesso de luz da Via Láctea.

A imagem acima, por exemplo, mostra um desenho de diversas galáxias tendo a Terra como ponto central.

Para captar a luminosidade de diversas galáxias e estrelas, os cientistas cobriram o telescópio com uma placa de alumínio com 1m de diâmetro e mais de 1.000 furos, em que cada um representa a localização precisa de uma galáxia.

De acordo com o centro Sloan Digital, esse mapa 3D pode ajudar pelo menos três áreas científicas: definir parâmetros da energia escura; observar a estrutura e evolução da Via Láctea; e entender a arquitetura dos sistemas planetários.

Nenhum comentário: