Curiosidades

[Curiosidades][grids]

Internet

[Internet][grids]

Politica

[Politica][grids]

Tecnologia

[Tecnologia][grids]

Saúde

[Saúde][grids]

Astronomia

[Astronomia][grids]

Beleza

[Beleza][grids]

Ciência

[Ciência][grids]

Robô assassino é criado na Austrália, Entenda!

Não se trata do exterminador do futuro, na Austrália está com um problema grande as estrelas-do-mar. Estima-se que 40% das destruições causadas na Grande Barreira de Recifes, localizada no pais, tenham sido causadas pelo animal da espécie conhecida como coroa-de-espinhos, que se alimenta dos corais.


A solução para a questão? Criar um robô que injeta veneno nas estrelas, visando a uma diminuição da espécie na região. A invenção é autônoma. Isso significa que o robô possui um sistema de inteligência artificial que identifica automaticamente quando vê uma estrela, e se prepara para dar a injeção fatal. Porém, se a máquina ficar na dúvida, o fator humano deve ser adicionado. Quando o robô não consegue definir com certeza se o que sua câmera está captando é uma estrela-do-mar, ele tira uma foto que é enviada para um humano analisar e orientar. A confirmação ou negação da fotografia entra para o sistema da invenção, que aperfeiçoa seu sistema de identificação.

Imagem: UOL

A ideia é que o robô navegue cerca de oito horas por dia, aplicando nesse período até 200 injeções. "Mergulhadores humanos estão fazendo um trabalho incrível na erradicação das estrelas-do-mar em áreas demarcadas, mas não profissionais suficientes parar cobrir todas as estrelas da Grande Barreira", afirmou em comunicado Andrew Dunbabin, Engenheiro Elétrico na Universidade de Tecnologia de Queensland, Austrália, e um dos responsáveis pela criação.

Imagem: Thinkstock


Um protótipo do invenção foi testado nos mares australianos em setembro de 2015, porém sem utilizar a inteligência artificial. Todas as injeções só eram aplicadas após uma provação humana. Os pesquisadores esperam que um robô completamente funcional esteja pronto ainda no início deste ano.

Criadores do robô.
 

Fonte: Super Interessante

Nenhum comentário: